Pular para o conteúdo principal

Quando o bebê "não quer" o sling

Tenho visto, nesse meu contato direto com a mãe e o bebê, que em algumas raras situações, ocorre uma dificuldade de adaptação do bebê com o Sling.

Uns acham que é o bebê que tem personalidade própria e não curte ficar apertadinho, outros acham que o bebê é nervoso, outros que é falta de paciência de quem vai carregar, ou mesmo nervoso/medo...

Nas minhas leituras sobre slings, babywearing, exterogestação, encontrei esse texto abaixo que pode ajudar muito...


Bebê que não quer se enrolar no slign 

RN que não quer se enrolar, não quer ficar de cócoras. ( Conversa com B. Da Sling-se, virou post aqui)
Vários fatores:
Foi habituado a ficar muito com as costas retas;
Algum stress no corpo – alguma tensão, uma memória no corpo, um habito que o bebê criou de ficar reto nos braços, da pessoa carregar o bebê de forma errada.
Infelizmente o berço e a cadeirinha não são fisiológicos – o berço é reto, a cama é plana, a cadeirinha empurra muito o peso do bebê para a bacia de forma que não fica em forma de C, a coluna fica em forma de L praticamente.
Chorar – o bebê quando tá muito tenso, ele fica com a coluna reta. Todo bebê que chora bastante fica com a coluna bem retinha. Mãe e bebê muito tensos, não é possível fazer amarração. Quando o bebê está chorando por N razões, ele fica muito reto e impede a mãe de fazer a amarração.
Porta-bebê muito mole, que não sustenta. Bebê fica tenso e não confia no suporte. Procurar tecido firmes.

O que fazer?

Nunca faça a amarração forçada (bebê inquieto ou chorando) – deixar o bebê se acalmar e encontrar o eixo dele que é o enrolado.
Se for um bebê tônico, muito reto, fica mais difícil, mas um RN nunca é tônico (a não ser que ele seja hipertônico ou hipotônico de nascimento, a partir de uma constatação médica, consultar primeiro). Quando bebê relaxar, ajustar o porta-bebê.
Para o bebê se enrolar mais – FAÇA NINHO – deixar a nuca ligeiramente levantada, os braços intercalados com almofadinhas, e os joelhos levantados. Isso praticamente arredonda a coluna do bebê. O ninho fica em forma OVAL com toalhas, colchas, etc. Esse ninho é mágico, evita o bebê a não ter o reflexo de Moro (quando o bebê se agita muito, se assusta).
Convidar o bebê a se encontrar – um bebê que não se encontra na posição fisiológica é um bebê que pode encontrar tensões no futuro, ou mesmo imediatas. No futuro geralmente são consequências na coluna e na bacia e no imediato é o stress, o choro, a falta de sono, etc.
– Existem exercícios e brincadeiras para fazer com o bebê no colo, para que ele vá se arredondando. Amarração – fazer solta (não se estressar, não forçar).
Você faz a amarração dentro do sling, do wrap tranquila, coloca o bebê dentro, esquece o resto. Vai andar com o bebê, vai cantar uma canção, vai deixar ele calminho, tranquilo… Quando o bebê estiver completamente relaxado, aí tensiona o carregador, tensiona o tecido por partes – da nuca até atrás dos joelhos. Porque só com o bebê relaxado a gente consegue fazer uma amarração otimizada, que segure bem a coluna do bebê, a nuca principalmente.
Com uma insistência suave, praticar sempre o Bem Carregar, o baby volta aos poucos se enrolar e não mais dará trabalho para a mãe durante e após instalação.

Espero ter ajudado um pouquinho!
Boa slingada!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tapa Pipi? O que é isso?

Ah! Quando eu vi esse negócio, pensei porque não tinha isso quando meu filho era pequeno?

É a descoberta do século!!! (Brincadeira, outras descobertas são bem mais importantes)

Mas, é coisa de gênio!




Sabe quando, você mãe de menino, vai efetuar a troca de fralda no consultório médico, e o gurizinho mira bem no meio da sua roupa?  Seus problemas acabaram!!!
Chegou o tapa pipi.  Já deixa no jeito. Tirou a parte da frente da fralda, já põe esse chapeuzinho no pipi do guri. Se ele fizer xixi, molha só o tapa pipi. Daí, é só guardar num saquinho plástico, chegar em casa, lavar com sabão neutro e pronto... coloca na bolsa dele outra vez...porque, sim... você vai precisar novamente!


Urso "Memória do bebê"

Estive sumida, mas cheguei com novidade!
Bebês crescem rápido perdendo as roupas. Doe o que puder, mas no caso de nossos filhos, sempre separamos uma roupinha que foi especial de alguma forma ou em algum momento. A última novidade é transformar essa roupa especial em urso de recordação ou “memory bears” como são chamados no exterior. Separe o seu! Pode ser um macacão ( mangas e pernas compridas) ou um conjunto de blusa e calça comprida. Não pode ser de malha de tricô, porque desfia. Essa ideia é bem legal e  é uma forma de transformar e reutilizar a roupinha preferida do seu filho, transformando-a num fiel amigo ou utilizado para a decoração do quarto.







Memory bear - Um carinho especial

Bebês crescem rápido perdendo as roupas. Doe o que puder, mas no caso de nossos filhos, sempre separamos uma roupinha que foi especial de alguma forma ou em algum momento. A última novidade é transformar essa roupa especial em urso de recordação ou “memory bears” como são chamados no exterior.
Separe o seu! Pode ser um macacão ( mangas e pernas compridas) ou um conjunto de blusa e calça comprida. Não pode ser de malha de tricô, porque desfia.
Essa ideia é bem legal e é uma forma de transformar e reutilizar a roupinha preferida do seu filho, transformando-a num fiel amigo ou utilizado para a decoração do quarto.
(fotos ilustrativas)